Alguns ensinamentos sobre a oração do Pai Nosso


E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes. Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; O pão nosso de cada dia nos dá hoje; E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; E não nos conduzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém. Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas. Mateus 6:7-15

Quando o Senhor Jesus ensinou aos Seus discípulos a oração do Pai nosso, não era a Sua intenção que nós a usássemos literalmente todas as vezes que desejássemos falar com Deus. Ele quis deixar um modelo de como devemos nos comunicar com o nosso Pai Celestial. São muitos os aspectos de uma oração, mas os três principais são: adoração, pedido e agradecimento.

Pai nosso que estás nos Céus: A adoração é essencial para que possamos entrar na presença de Deus em oração. Ela enriquece a nossa humildade, mostra a sinceridade da nossa alma e dignifica, honra e exalta ainda mais o nosso Senhor. O Altíssimo é um Pai Santo, por isso Seus filhos também devem andar em santidade (1Pe 1.16). Devemos reverenciá-lO e honrá-lO em nossas orações e em nosso viver.

Venha o Teu Reino: Esse deve ser o nosso maior desejo em tudo o que pedimos ao Senhor. Os salvos têm o Reino de Deus dentro de si, por isso desejam que esse Reino seja também estabelecido neste mundo e no coração de todos os seres humanos. A vontade Divina deve estar acima dos nossos interesses, pois o Altíssimo sabe o que é melhor para nós. Se pedirmos algo injusto, não seremos atendidos. Qualquer pedido que não tenha a finalidade de glorificar o Todo-Poderoso não é da Sua vontade.

O pão nosso de cada dia: Devemos pedir a Deus o necessário para cada dia sem nos preocuparmos com o dia seguinte. Ele supre cada necessidade dos que vivem na Sua dependência e concede diariamente não somente o alimento para o corpo, mas também a saúde, a paz, a proteção, e, sobretudo, a Sua Palavra, que traz ânimo e coragem para seguirmos em frente (Fp 4.19). No deserto, Ele enviava a cada manhã o maná para o Seu povo se alimentar e se suster (Êx 16.4).

Perdoa-nos assim como nós perdoamos: Temos que ter consciência de que é preciso oferecer o perdão para podermos recebê-lo. Há pessoas que pedem perdão a Deus pelos seus pecados, mas não perdoam quem as ofendeu de alguma forma (vv.14-15).

Livra-nos do mal: O diabo trabalha o tempo todo com a finalidade de destruir os que são de Deus (1Pe 5.8). Não podemos vencer as suas tramas e armadilhas por nós mesmos, por isso precisamos seguir o Conselho do Senhor Jesus e orar ao Pai, a fim de que Ele nos dê forças para podermos suportar e vencer as tentações. Somente o Eterno pode nos livrar e nos proteger de todo o mal (Sl 91.14-15).

Ouça diariamente pelas 23hs, a mensagem amiga do Bispo Macedo