Esau ou Jacó?



Cresceram os meninos. Esaú saiu perito caçador, homem do campo; Jacó, porém, homem pacato, habitava em tendas. Isaque amava a Esaú, porque se saboreava de sua caça; Rebeca, porém, amava a Jacó. Gn 25:27

Jacó não nasceu com os talentos de Esaú: forte, caçador, corajoso, audacioso e etc..., Jacó era pacato, e por não ser caçador como seu irmão ficava mais voltado para sua mãe, ao contrario do seu irmão que ficava mais com o Pai. Naquela época não havia emprego. Só quem era caçador, grande guerreiro ou soldado é que se destacava na sociedade, ou então quem fosse primogênito pois herdava os bens do pai e se tornaria o chefe daquela família. O mais forte tinha sempre garantia de um futuro brilhante. Mas Deus viu a intenção de Jacó que nasceu com todas as desvantagens, sem talentos, que não era o filho mais amado, não tinha os talentos do irmão, porém, ele queria a bênção que o irmão desprezava por causa da força que tinha, pelos talentos que tinha, e até por causa do amor que seu pai tinha por ele.


“...nem haja algum impuro ou profano, como foi Esaú, o qual, por um repasto, vendeu o seu direito de primogenitura. Pois sabeis também que, posteriormente, querendo herdar a bênção, foi rejeitado, pois não achou lugar de arrependimento, embora, com lágrimas, o tivesse buscado.” Hb 12:16 De acordo com o dicionário uma pessoa “profana” significa uma pessoa que rejeita ou despreza as coisas sagradas. Esaú rejeitou a benção, e por isso também foi rejeitado. Esaú foi aceito pelo pai, pois a Bíblia diz que Isaque amava mais a Esaú, ele também foi aceito pelos 400 homens que andavam com ele, eram seu exército, mas ele foi rejeitado por Deus, a Bíblia diz: “Amei Jacó, porém me aborreci de Esaú.” Rm 9:13 Por outro lado, Jacó foi rejeitado pelo pai que lhe desprezava, foi rejeitado pelo irmão que queria matá-lo, por isso teve que fugir, depois foi rejeitado pelos filhos do patrão, e mais uma vez teve que fugir, mas a bíblia diz que Deus o amou, e lá no Vau de Jaboque ele foi aceito por Deus.

Jacó fez o certo que era tomar posse da bênção que seu irmão sempre desprezou, porém o fez do jeito errado, embora sua mãe tivesse o incitado, ele deveria ter recusado e ter confiado em Deus! Ele foi um homem abençoado sem dúvidas: Viu o topo da escada do céu, anjos subindo, anjos descendo, ouviu a voz de Deus, chegou na casa do tio com uma mão na frente e outra atrás e depois se tornou mais rico que o próprio tio, casou-se com a mulher que amava, constituiu sua família e ainda teve 11 filhos. Deus o perdoou, mas não o inocentou de seus pecados, ele colheu o fruto de suas ações, chorou, gemeu, foi enganado e ainda sabia que seu irmão o odiava e desejava vingança, prometendo matá-lo sem hesitar. Ele foi muito abençoado, mas até chegar ao Vau de Jaboque ele ainda vivia com medo pois toda as suas conquistas naquele momento não podiam salvá-lo e nem ele salvar as suas conquistas. Naquele momento era como se mesmo tendo tudo, ele não tivesse nada, pois, seu irmão vinha ao seu encontro com 400 homens para um encontro que ele sempre temeu durante todos aqueles anos! Naquele instante tudo o que ele mais queria era apagar o passado de engano que ele trazia e poder se reconciliar com o seu irmão.

Ouça diariamente pelas 23hs, a mensagem amiga do Bispo Macedo