Pensai e buscai as coisas do alto


"Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória. Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a fornicação, a impureza, a afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria; Pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência; Nas quais, também, em outro tempo andastes, quando vivíeis nelas. Mas agora, despojai-vos também de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca.Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos, E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo, e em todos." Colossenses 3:1-11

A vida daqueles que morreram para os prazeres pecaminosos deste mundo e passaram a viver para Deus, por meio da fé, está totalmente voltada para agradar ao Senhor. No entanto, buscar e pensar nas coisas espirituais exige de cada pessoa completa renúncia de si mesma. Ou seja, o sacrifício das próprias vontades e dos desejos carnais deve ser de forma contínua. Quando a pessoa vive na injustiça, por exemplo, fica provado que ela ainda não recebeu o novo nascimento, e, consequentemente, não possui o Espírito Santo, sem O qual é impossível viver em santidade (1Jo 3.6). O nascido de Deus tem prazer em buscar e pensar nas coisas do Alto, porque deixou de ser uma criatura terrena para se tornar um ser celestial (1Co 15.47-48).

A Palavra de Deus diz: Mortificai os vossos membros. Quando a entrega da vida a Deus é verdadeira, o Espírito Santo faz nascer dentro da pessoa a natureza espiritual. Isso significa que os membros do seu corpo, que outrora foram usados como instrumentos do pecado, já não estarão mais sob o domínio da carne e de suas paixões. Se isso ainda não aconteceu na vida de alguém, é porque está faltando o verdadeiro arrependimento. Paulo menciona alguns pecados relacionados ao sexo ilícito e à ganância, que fazem parte da essência do velho homem. Entre eles, estão a fornicação, que é a prática do sexo antes ou fora do casamento (Mt 19.9; 1Co 5.1; Jd 7); a impureza, que engloba todos os tipos de dissoluções, como a luxúria e os desejos vergonhosos e profanos (Ef 4.19); a afeição desordenada, que é o desejo sexual contrário à natureza (Rm 1.26-27); a vil concupiscência, que é qualquer tipo de desejo carnal ou de cobiça que desagrada a Deus; e, por fim, ele cita a avareza, que é o apego excessivo ao dinheiro e às coisas materiais. Por esse motivo, ele diz que a avareza torna o ser humano idólatra (Lc 12.15). Assim, vemos que matar a carne exige esforço consciente e constante por parte da pessoa, mas quem deseja agradar a Deus está disposto a fazer essa renúncia.

Paulo segue advertindo os cristãos em relação ao pecado, que precisava ser abandonado por completo. Assim, tudo aquilo que fazia parte da velha natureza deveria ser arrancado da conduta dos colossenses, como as indignações pecaminosas e desmedidas, os atos de vingança e de maldade, as calúnias e as ofensas contra os demais, além das palavras obscenas e das mentiras. Tais práticas fazem parte da velha criatura que, por não ter o conhecimento do Senhor Jesus, deixa-se dominar pelas más ações. Porém, a partir do momento em que a pessoa se torna uma nova criatura por meio do novo nascimento, ela fica livre da escravidão do pecado e deixa de obedecer aos seus desejos, pois a Luz do Evangelho passa a resplandecer sobre a sua vida.

Ouça diariamente pelas 23hs, a mensagem amiga do Bispo Macedo